Tratar um cão como ser humano é também maus tratos aos animais

Tratar um cão como ser humano é também maus tratos aos animais

Você sabia que o excesso de carinho ao seu cão também pode ser incluído como maus tratos aos animais? Entenda como o afeto excessivo pode afetar seu cão...

caozinho vestindo roupa de homem

Maus tratos aos animais por excesso de afeto? É possível?

Você sabia que o excesso de carinho ao seu cão também pode ser incluído como maus tratos aos animais?

Pois é, o especialista canino César Millán explicou como o afeto excessivo pode afetar os cães de estimação, ou seja é também considerado maus tratos aos animais.

Hoje em dia, os animais de estimação ocupam um grande espaço entre os seres humanos.

Até cães e gatos se tornaram filhos e membros da família.

Tanto que o especialista em caninos, Cesar Millán, considera que esse excesso de afeto foi transformado em maus tratos aos animais.

O amor pelos animais faz com que as pessoas os tratem como seres humanos e é por isso que você pode ver  restaurantes luxuosos para cachorros, escolas, festas de aniversário, clubes, cabeleireiros, lojas de roupas e outros estabelecimentos dedicados a submeter animais a atividades e tarefas próprias dos seres humanos.

cachorro alimentando como se fosse humano - isso é também maus tratos aos animais

Cesar Millan explicou que, embora os donos de cães façam isso porque amam seus animais de estimação, isso não significa que seja um bom negócio.

Pelo contrário, humanizar os animais faz com que eles percam sua identidade, que se sintam frustrados, ansiosos e inseguros.

“As necessidades do animal não estão sendo levadas em conta.

O ser humano tem se concentrado em ser profissional e não em ter uma família.

Por essa razão, os animais são utilizados como ferramentas para suportar este vazio.

Cachorro sentado na mesa igual um humano

Mas os animais se sentem incompletos porque não são seres humanos e têm outras necessidades físicas e psicológicas”, disse Millán em entrevista à revista mexicana Contenido.

Millan também disse que há 50 anos os problemas psicológicos dos cães não eram tão frequentes porque eram tratados como animais e estavam em grandes espaços.

Agora eles moram dentro de uma casa, entediados e sem atividade física.

“Um cachorro na rua se comporta melhor do que aquele que mora dentro de casa. – Millán acrescentou – Ele tem esse desafio para sobreviver, procurar comida e desenvolver todas as suas habilidades.

O cachorro que mora na casa não tem trabalho, não anda mais de 15 minutos, não tem propósito”.

Esse problema já está sendo analisado por outros especialistas, como o americano Gary Francione, advogado e especialista em direitos dos animais, que considera que a humanização dos animais é moralmente negativa porque impõe sofrimento desnecessário.

Francione considera que os proprietários impõem regras humanas desrespeitosas que vão de penteados a maquiagem, e essa tentativa contra a identidade do animal.

cachorro com peruca humana

O debate agora a respeito dos animais é descobrir quem vive mais feliz: o cão vagabundo que segue livremente seus instintos, sem estar sujeito a nenhuma regra, ou aquele que está no sofá de uma casa isolada do resto de seus congêneres?

Qual cãozinho você tem? Um Shih Tzu? Um Dog Alemão? ou um vira lata?

O que importa mais, é… Como  você trata o seu cachorro?

Você o incentiva a brincar, correr, pular e latir, ou você é do tipo que coloca ele para dormir dentro de casa e compra roupinhas, sapatinhos e ainda oferece refeições próprias para os seres humanos?

Percebeu como é importante tratar o seu cachorro como ele realmente deve ser tratado? Com carinho, mas como um cachorro!